Hipnose

Duração da mudança em transe hipnótico

Uma pergunta que me fizeram recentemente:
Estive lendo sobre hipnose em um site que dizia que uma sugestão de hipnose não dura muito tempo: cerca de 2 horas a 2 semanas e depois vai progressivamente enfraquecendo. Como é possivel fazer uma pessoa nao esquecer da sugestão para o resto da vida, em poucas sessões?

Minha resposta:

Esta questão sobre a “durabilidade” de uma sugestão é muito discutida. Se entendermos direito o que significa a mente, não faremos paralelos com efeitos físicos. A hipnose não é similar a um efeito de remédio, que tem uma certa duração no organismo.

Pensamentos estão em constante transformação. A mente é fluida. Um pensamento tornado dominante em um dado momento logrou êxito sim em influenciar a mente, mas ele não é algo “sólido”. É uma condição adjetiva, não subjetiva da mente.

Mesmo uma sugestão feita em transe profunda deve ser acolhida pela mente do sujeito, e este, com suas próprias reflexões, mudará sutilmente a sua identidade pessoal para acomodar as novas crenças sobre si mesmo. A hipnose tem um efeito catalizador, é uma semente de pensamentos, mas não é uma nova mente do indivíduo.

A questão principal é que uma sugestão deve ser praticada, até que se torne habitual. Com o tempo o praticante se convencerá que a nova maneira de ser que escolheu – durante o transe – é a sua maneira de ser natural e espontânea para ele.

Acontece que o indivíduo possui ainda várias referências sobre seus comportamentos do passado. E, pior ainda, existem expectativas dos outros sobre ele – mesmo que negativas, os familiares e amigos reconhecem-no pelas suas limitações e defeitos, e estranham um pouco quando ele se revela diferente.  A maioria das pessoas não sabe aceitar e nem acreditar quando uma pessoa tem mudanças positivas e a primeira reação normalmente é de dúvida e de teste “para ver se não é fingimento”. E, mesmo sem perceber o dano que isto faz, pressionam para que o sujeito que passou pela hipnose manifeste a maneira como habitualmente é.

Ora, esta pressão geral é um pouco de hipnose também, não é? A expectativa de todos ao redor, por exemplo, diz que alguém é um fumante inveterado. Ele chega em casa, todo feliz, dizendo que parou de fumar “após uma ótima sessão de hipnose”. Riem da cara dele, dizendo que é um crédulo, que foi enganado, que não existe isso… Há muita chance dele hesitar. E, de certa maneira, fica “investigando o seu inconsciente”, para checar se ainda existe alguma vontade de fumar…

Com certeza há. Nossa mente não é rasurada, como uma folha em branco. A hipnose pode realçar características, mas não é uma lobotomia no cérebro. E se a pessoa insistir muito, detectará indícios do comportamento antigo. Esta percepção “lhe provará” que a mudança não foi total, e a sensação de dúvida e de decepção pode fazer com que retorne ao comportamento antigo.

Lembrem-se, a hipnose não aperta botões no cérebro. Nosso humor, nossos pensamentos e até o que achamos que é o nosso próprio Eu são coisas mutáveis, inconstantes. A hipnose reforça e redireciona a mente. Mas é obrigação de cada um colaborar com os novos padrões aprendidos. Ninguém é totalmente passivo, mesmo que entre em hipnose profunda. Deve colaborar com a mudança, não lutar contra ela.

Assim, não é que uma sugestão tenha durabilidade de poucas horas ou semanas. Apenas é que nossa mente é mutável mesmo, e uma sugestão deve ser aceita e repetida pelo indivíduo, até que possa ser replicada naturalmente, pela sua própria mente. Com o tempo a hipnose, mesmo feita por outra pessoa, torna-se propriedade do próprio hipnotizado. Ele assume a nova identidade pessoal, e SABE que é diferente agora. Ele utilizou os padrões aprendidos durante o transe e os repete, recria, dia a dia, de forma cada vez mais fácil e natural. Ele agora É a pessoa que escolheu ser.

Uma pessoa pode modificar o seu comportamento, melhorando comportamentos depressivos para reações de dinamismo e auto-confiança; pode superar a timidez, ansiedades e fobias, pode até superar traumas e estresses intensos, com a ajuda da hipnose. Pode fazer muitas coisas. No entanto este trabalho não é uma operação passiva. Ele pode e deve cooperar, usando os pensamentos, sentimentos e emoções despertados pela hipnose para recriar os seus próprios pensamentos do dia a dia, da mesma maneira como podemos fazer uma nova coalhada a partir de uma “semente”, utilizando um pouquinho de coalhada em uma tigela de leite fresco e deixando maturar…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s